Arquivo da tag: propaganda

Uma Idéia Na Cabeça E Muito Dinheiro No Bolso

Mas não aconteceu do dia pra noite. Sorte? Persistência? A pessoa certa no lugar certo? É uma união de coisas que, junto a identificação de um nicho de mercado, fizeram com que uma idéia para resolver um assunto pessoal, se transformasse em uma empresa milionária.

Mapa do Tesouro da Internet

Mapa do Tesouro da Internet

O site Buscapé foi vendido aos Sul-Africanos do Naspers em um negócio que envolveu US$ 342 milhões. Só não direi que a empresa partiu do zero para este valor atual em apenas 10 anos, pois inicialmente os sócios economizavam R$ 100 por mês de seus salários de estágio, investindo numa ferramenta de internet para comparar preços de produtos vendidos nas lojas, tudo para adquirir uma impressora. Não tinham o intuito de ficar milionários, muito menos viajar pelo mundo de férias por alguns anos. Queriam apenas resolver um assunto pessoal, facilitar um processo de busca, quando se descobriu que ninguém havia pensado nisso até então.

No tempo das cavernas a propaganda era feita de boca a boca, talvez com o uso de fumaça. Com o rádio, a divulgação passou a ser mais difundida, e logo em seguida a TV fez com que o marketing criasse novos desejos de consumo. A grande questão sempre foi atingir um maior número de pessoas, seja qual fosse o segmento. A poucas décadas atrás surgiu uma ferramenta que cumpre bem esse papel, de forma praticamente instantânea. A internet. Com ela novas idéias apareceram, novas maneiras de facilitar nossas vidas, mundando hábitos, criando novos desejos, novas formas de divulgação. E quem identificou as necessidades antes, criando formas simples e eficientes para se atingir o público, quem entendeu como a internet deve se incluir no marketing e comunicação, se tornou milionário.

Romero Rodrigues Presidente do Buscapé

Romero Rodrigues Presidente do Buscapé

Mas de onde vem grande parte da receita do site? Ao fazer uma busca de preços no Buscapé, se o consumidor clica sobre determinado produto cadastrado, o lojista detentor deste paga pelo clique ao Buscapé, mesmo que a venda não seja concluída. O site hoje está em diversos países, captando e fazendo comparações de preços de diversas lojas virtuais, é um negócio milionário, e eu nunca cliquei no seu endereço eletrônico para pesquisar ou comprar o que quer que fosse. Confesso que a primeira vez foi essa semana, quando da divulgação de sua venda ao Naspers. Se é uma empresa de sucesso, alguém está clicando. Seja aqui no Brasil, seja na África.

Penso que da mesma forma que empresas de internet existem e fazem novos ricos pelo mundo, sem mesmo você ter participação ou conhecimento, muitas novas formas de enriquecer com a rede de computadores podem ser identificadas. Alguns dados divulgados pelo IBGE contribuem para acreditar nisto. No Brasil em cada 10 domicílios, 3 possuem PC, são 18 milhões de computadores para 191 milhões de brasileiros, e destes apenas 14 milhões estão conectados a internet. Ou seja, são 31,2% de domicílios brasileiros com computador, sendo que destes, somente 24% possuem acesso a internet. Outros dados interessantes mostram a grandeza do nosso país, sua concentração e desigualdades. Destes 14 milhões de PC´s no Brasil, 10 milhões estão localizados na região sudeste. O telefone, que é uma invenção de 1875, seja na forma residencial ou celular, ocupa pouco mais de 80% das casas brasileiras. Isto mostra o potencial de crescimento, identificação de novos nichos, de surgimento de novas idéias, que a internet nos reserva.

O Brasil é um país que não incentiva o surgimento de novas empresas. Não oferece condições para o desenvolvimento do empreendedorismo. Isto está fundido na cabeça das famílias, que preferem ver o filho entrar em uma empresa, saindo dela aposentado depois de 30 anos. Uma legião de funcionários acomodados, medrosos, que possuem boas idéias, mas não tem apoio nem mesmo da própria família para buscar a satisfação com seu próprio negócio. A provável prosperidade morre no primeiro, “não vai dar certo, não seja louco”. O apoio também não acontece nas universidades. Por outro lado, nosso país tem muito a crescer, pois esta nova geração já nasce conectada, com um acesso maior a informação. O público da web pode ser considerado mais qualificado, quando se comparado ao que não a utiliza. Um maior acesso a estas tecnologias pode homogeneizar o povo brasileiro, oferecendo maiores oportunidades ao atingir mais pessoas.

Curiosidade

Curiosidade

Falta de dinheiro e fracassos iniciais não são desculpas. Procurem ler a biografia do homem mais rico do Brasil, o bilionário Eike Batista, que começou comprando pedras preciosas em pequenas quantidades, com dinheiro emprestado e hoje possui negócios em diferentes áreas, um empreendedor nato. Outro exemplo é Silvio Santos, o grande comunicador, que fez fortuna vendendo inicialmente canetas, passando por propagandas de rádio, hoje dono de uma grande emissora de TV. Estes são estímulos, que agora somados a história da empresa Buscapé e seus fundadores, vem para acrescentar os exemplos de sucesso em nosso país, pessoas que transformam sua vocação em maneiras de ganhar dinheiro, muito dinheiro.

Transformar informação em conhecimento, persistência, curiosidade, prazer em descobrir coisas novas, inovação e novos milionários surgirão.

Músicas ouvidas durante o postVivendo do Ócio – Terra Virar Mente; Oh, Não!; Meu Precioso; É Melhor Pensar Duas Vezes; Dilema; Fora, Mônica; Seja Como Quiser; Viés; Lado Ruim, Hey!Hey!; Caindo na Estrada; Rock Pub Baby; Lado Ruim PT II; Amor Em Fúria. Móveis Coloniais de Acaju – Perca Peso (A Terceira Metade do Meu Estresse); Seria o Rolex (Ego e Latrina); Aluga-se-vende (Sujeito a Mudança); Copacabana (Devaneios de Um Cubano Cubista); Menina-moça (A Receita Que Ofélia Não Ensinou); Menina-moça (A Receita Que Ofélia Não Ensinou); Esquilo Não Samba (O Triste e Recorrente Medo); E agora, Gregório (Metamorfossa); Swing hum e meio (O Homem, a Verdade e a Castanha); Do Mesmo Ar (Pra não Dizer que Não Somos Melosos); Sadô-masô (A Vida é Tão Fácil Para Quem Não a Vive); Receio do Remorso (Remorso do Receio). (Destaque para todas).


Vício de Blogar

Pesquisando nos Blogs, encontrei um post muito interessante de 2003, intitulado “Velharia Reciclada – O Blog lhe começa a fazer mal quando…” É justamente o que ocorre quando a pessoa fica viciada em blogar. Vou postar o que a autora Alê Félix escreveu:

O blog começa a lhe fazer mal quando…

-As pessoas perguntam como foi seu dia e você diz para lerem no blog;

-Deixa de sair com os amigos para ler comentários;

-Cria um personagem fictício para comentar no próprio blog;

-Comenta em vários blogs qualquer coisa, só para fazer propaganda do seu;

-Dá reload no blog várias vezes para ver se aumenta o número de visitas no contador;

-Só escreve sobre assuntos que vão lhe render visitas através dos sites de busca;

-Nunca leu um livro, mas acha que pode escrever alguns;

-Acha que um dia pode concorrer à Academia Brasileira de Letras;

-Fica arrasado com críticas e nem consegue dormir;

-Quando está com outras pessoas, só fala de blogs e posts;

-Perde completamente a noção de privacidade, põe nos posts as piores histórias da família e dos amigos e ainda dá nome, endereço e telefone de todo mundo;

-Não consegue ficar um minuto sequer longe do micro; 

-Quando está longe, não vê a hora de voltar pra casa, conferir as estatísticas, os comentários e escrever sobre a sua preocupação em voltar logo para frente do micro;

-Passa o dia pensando no que postar;

-Fica deprimido se não há o que escrever;

-Fica deprimido porque ninguém comenta os seus posts;

-Fica deprimido se o número de visitantes diminui;

-Passa o dia fazendo propaganda do próprio site;

-Quando entra em um banheiro público, deixa o endereço do blog atrás da porta;

-Não agüenta nem ouvir falar a palavra blog;

-Já pensou em tornar-se um serial killer de blogueiros;

-Colocou uma foto no último post e não vê a hora de ser reconhecido nas ruas;

-Não desgruda mais da máquina fotográfica. Toda imagem vale um post;

-Não vê a hora de acontecer um novo encontro de blogueiros;

-Acha que é famoso;

-Acha que é engraçado;

-Acha que deveria receber pra escrever no blog;

-Acha que sua vida vale um filme;

-Acha que é escritor;

-Acha que a sua vida é muito chata, mas que ficaria insuportável sem o blog;

-Acha que é interessante e que suas histórias são impagáveis;

-Transforma qualquer assunto besta em confusão só pra chamar atenção;

-Acha que criticar tudo e todos é uma tática bastante original para o blog e você serem admirados;

-Vive colocando seu nome e o do blog no Google pra ver quem escreveu sobre você;

-Quando não tem nada para fazer, procura erros de português no blog dos outros;

-Senta a boca nos comentários dos blogs populares só para ganhar notoriedade;

-Sabe que tem um português sofrível, mas diz que não se importa e capricha nos erros;

-Manda fazer cartões de visita com o endereço do blog;

-Passa mais de oito horas por dia gerenciando o próprio blog;

-Noventa e nove por cento dos seus amigos tem blog;

-Seus últimos relacionamentos amorosos começaram via sistema de comentários;

-Terminou o namoro via post;

-Já pensou em pedir as contas do emprego para se dedicar mais ao blog;

-Quando está com amigos blogueiros e tem uma idéia para um post, avisa logo: “Eu primeiro! Idéia minha! Post meu!” ;

-Não perde a oportunidade de ser o primeiro a comentar um post;

-Sempre que é o primeiro a comentar um post escreve: “Primeiroooooo!”;

-Fica de mau-humor quando o blog ou suas ferramentas saem do ar;

-Só se relaciona com blogueiros famosos e ignora qualquer um que tenha menos de cem visitas diárias;

-Anda na rua achando que todos sabem quem você é;

-Verifica as estatísticas dos blogs antes de se dar ao trabalho de comentar;

-Acha que um link no seu blog vale mais do que ouro em Serra Pelada;

-Não linka ninguém porque acha que não há blog melhor que o seu;

-Não linka ninguém porque não quer concorrência;

-Linka todo mundo porque quer links de todo mundo;

-Quando você dorme sonha com um template novo;

-Coloca scripts para evitar que copiem seus textos e imagens utilizando o teclado e o botão direito do mouse;

-Já pensou em colocar espaço para publicidade no blog;

-O computador pifa e você pifa junto;

-Não suporta mais escrever no blog, mas não o deleta porque desaprendeu a viver sem comentários;

-Você grita, se descabela e esmurra o computador quando expira o tempo de postagem e você perde um post inteirinho; 

-Seus últimos sonhos de consumo estão todos relacionados ao blog: notebook, câmera digital, webcam, speed… 

-Quando está com amigos blogueiros fica calado para evitar que suas idéias sejam usadas por eles;

-Já pensou em vender o blog, passar o ponto;

-Pensa seriamente em colocar uma foto sua de nu frontal com o endereço do blog pra ver se ela vira spam e o sucesso te leva pra televisão, revistas…

-Acha que o blog é a sua grande chance de tornar-se uma celebridade;

-Mente descaradamente, mesmo com o contador aberto, sobre o seu número de visitas;

-Deseja esganar um pescocinho quando vê que copiaram um texto e ignoraram a autoria (a propósito, este texto foi escrito por Alê Félix, do www.alefelix.com.br).


Passados quase 6 anos deste post, os sintomas continuam muito atuais.

Você se identificou com quais destes ítens?

 

Músicas ouvidas durante o postJorge Ben Jor – Taj Mahal; Filho Maravilha; W Brasil; País Tropical; Spyro Gyro; Que Maravilha; Por Causa de Você; Menina; Chove Chuva; Zazueira (destaque para todas, salve Jorge)

BlogBlogs.Com.Br


%d blogueiros gostam disto: