Arquivo da tag: direito

A TV Não Matou o Rádio

Dizemos que em economia, o termo obsolescência esta relacionado a diminuição de vida útil e do valor de um bem. Isto pode ocorrer devido ao progresso técnico ou ao surgimento de novos produtos. No campo artístico isto também acontece com a resistência de algumas pessoas ao obsoleto. Mas porque esta resistência? Nós mudamos com o passar dos anos, aprendemos coisas novas, conhecemos pessoas novas, estamos em contínuo aprendizado, inovamos. Porque com a tecnologia seria diferente?

oldtimes

O DVD veio para melhorar o formato de áudio e vídeo dos filmes que vemos em casa, e logo se tornará obsoleto, pois o Blue Ray já encanta os aficcionados pelos lançamentos de Hollywood. Esses dias mesmo eu estava conversando com o pessoal em casa sobre o vídeo-cassete que fomos buscar no Paraguay (a muitos anos atrás), e poderíamos fazer o mesmo com o Blue Ray, ou até mesmo um Playstation 3 (serve como video game e leitor de Blue Ray), porque não. O que não podemos é ficar agarrados a um produto que logo estará em desuso. Temos que acompanhar a evolução da tecnologia.

A questão é que, ainda tem gente procurando atrapalhar esta mudança inevitável e natural do universo do download, que a meu ver veio para ficar. A proibição é atitude típica de pessoas mais nostálgicas, que ouvem ou ouviram discos de vinil e/ou fitas cassete, que tinham que ir até uma loja para comprar e pagar caro pelo álbum desejado. Já as pessoas que ainda não atingiram a fase dos enta (quarenta, cinqüenta, sessenta), já nasceram utilizando estas novas tecnologias, além de estarem mais acostumadas com as mudanças repentinas que ocorrem tanto em nossas vidas, quanto no mundo tecnológico.

Estas pessoas mais jovens querem combater seu ponto de vista, batendo de frente com antigas cabeças pensantes. Um bom exemplo vem da Suécia, onde uma estudante de economia de 21 anos chamada Amelia Andersdotter está prestes a entrar no Parlamento Europeu, o que a fará contrastar com os políticos mais velhos que costumam se eleger para a casa. Além de ser muito jovem, o que também chama a atenção é que, ao contrário da atual política de se defender os direitos autorais, com leis restritivas, ela baterá na tecla de que é necessário liberar o download. A indústria do entretenimento, tal qual o DVD ou o CD, deverá evoluir e procurar uma nova forma para continuar a lucrar. Amelia faz parte do Partido Pirata, que defende o download livre, e está ganhando espaço no Parlamento Europeu. Ela é uma das representantes mais votatas do partido e ganhou notoriedade justamente por simpatizar com a causa política, defendendo o que muitos jovens da sua idade defendem, o direito de fazer download. A campanha de Amelia baseou-se como esperado para sua idade, na web. Ela criou site, blog e publicou vídeos no youtube.

Amelia Andersdotter

Amelia Andersdotter

Num momento em que o número de defensores do download livre aumenta na mesma proporção em que surgem leis restritivas, os eleitores, principalmente os mais jovens, abraçam as idéias de Amelia e do Partido Pirata. Ela e o Partido propõem mudanças radicais, em que todos os usos não-comerciais de músicas e filmes seriam liberados, ou seja, se você baixar algo para uso próprio e não for comercializar, tudo bem. Defendem também que toda a obra possua direito de proteção estipulados em 5 anos, caindo após este período em domínio público. Você pode se perguntar, e as Majors (indústria do entretenimento), como iriam lucrar? Bom. Como eu estou pensando em substituir meu DVD por um Blue Ray ou até mesmo um Playstation 3, elas já deveriam começar a pensar em novas formas de lucrar. A atual crise econômica mundial, pede por novas formas de produtos ou serviços. Algumas sugestões: podem lucrar com shows, licenciamento de músicas, merchandising, ou seja, as Majors devem inovar. Eu mesmo baixei o ultimo CD do Oasis, mas por outro lado investi 200 reais no ingresso para vê-los tocar ao vivo aqui no Brasil.

Um projeto de lei que desconecta usuários que estão fazendo download foi apresentado aqui no Brasil. A lei foi derrubada por inconstitucionalidade, mas o Governo ainda quer colocá-la em prática. Em países da Europa, existe uma lei que guarda a movimentação dos internautas. Os responsáveis pelo PirateBay que é usado para baixar músicas e filmes foram condenados, sendo apontados como facilitadores para a pirataria. Como resultado, mais pessoas se filiaram ao Partido Pirata, ou seja, quanto mais medidas restritivas forem tomadas pelos Governos, surgem mais movimentos políticos pela cultura livre. Os consumidores clamam por uma reformulação neste processo de compra e venda.

Seja comprando ou baixando, é tudo uma questão de preferência, de oportunidade, de poder aquisitivo. O próprio vinil está voltando pois identificaram que existe a demanda com os nostálgicos que gostam do barulhinho chiado. Penso que deve haver todas as formas de distribuição, todas as opções. Quem quer comprar o Vinil, compra. Quer o CD ou DVD, pode comprar. Quer baixar, também pode. Tem para todos os gostos e bolsos. A TV não matou o rádio, o download não vai matar a música ou o filme, é tudo uma questão de evolução.

Anúncios

A Lógica do Cisne Negro

Você já viu um et? Acredita que eles existem? Se você não acredita, talvez seja por uma simples razão. Você nunca viu um.

Talvez você não tenha olhado direito ao seu redor.

Talvez você não tenha olhado direito ao seu redor.

A lógica funciona também para os cisnes, que até que se prove o contrário são todos brancos. Mas para o libanês Nassim Nicholas Taleb, ex operador do mercado de ações, especialista em finanças e crítico da indústria, os cisnes negros também existem. Ele é o autor do Best Seller “A Lógica do Cisne Negro”, que ilustra a fragilidade de nosso conhecimento, com relação a falta de preparo para o acontecimento de situações raras e talvez únicas, ou seja, a probabilidade de ocorrer o improvável.  

No livro, são abordadas questões referentes a falta de visão para eventos aparentemente impossíveis. E isto não ocorre apenas em outros países, com outras famílias. Acontece com você! Cada um de nós possui um exemplo de uma mudança repentina no rumo de nossas vidas, algo que não estava planejado e mesmo assim aconteceu, como por exemplo a escolha da faculdade que cursamos, o local de moradia, encontrar alguém que não víamos a anos, encontrar cinquenta reais na rua. São situações que fogem ao nosso controle. Mesmo assim, pessoas ainda tendem a agir como se o óbvio fosse o mais esperado, mostrando a limitação do aprendizado calcado apenas em observações do cotidiano, impondo limites ao conhecimento.

cisne

O livro que ficou famoso após o agravamento da crise do mercado imobiliário nos EUA, trata da incerteza, momentos raros que mudam todo o trajeto sem aviso prévio. A disseminação da internet, o sucesso do GOOGLE, o tsunami no oceano Pacífico em 2004, os ataques de 11 de setembro, são apenas alguns exemplos de fenômenos que o autor chama de “Cisne Negro”. E quase tudo a sua volta pode estar enquadrado nesta definição. Para Taleb, devemos dar relevância a aquilo que não sabemos. Eventos que pegam todos de surpresa, ocasionando resultados impactantes. O autor chama de “tripé da opacidade”:

  • Ilusão da compreensão: Todos acham que sabem o que se passa no mundo. Porém este é bem mais complexo;
  • Distorção retrospectiva: Organização dos fatos de forma mais simples do que a verdadeira realidade;
  • Sobrevalorização da informação factual: Idealização dos fatos de maneira platônica. Tudo que irá acontecer, parece mais razoável e previsível.

Ledo engano, pois estamos constantemente a mercê do inesperado.

Somos hábeis na construção de frases: Como não pensei nisto antes? Como ele foi deixar isto acontecer? Que burro, dá zero pra ele.

Depois que passou é fácil falar

Depois que aconteceu é fácil falar.

Agimos como se tudo fosse acontecer naturalmente, como se somente existissem cisnes brancos. Ignoramos os problemas passados e a partir deles, não adquirimos a precaução necessária para as possíveis adversidades. “…Um pequeno número de cisnes negros explica quase tudo no mundo, do sucesso de idéias, religiões, às dinâmicas de eventos históricos e elementos de nossas vidas pessoais…” O efeito dos cisnes negros vem só aumentando “…o mundo começou a se tornar mais complicado, e os eventos comuns, aqueles que discutimos e estudamos e tentamos prever por meio de leitura de jornais, tornam-se cada vez menos importantes.” O que você sabe, não pode machucá-lo. Portanto, não foque somente no específico, esteja atento ao que acontece no geral. Não seja ingênuo e tão pouco arrogante em relação a aquilo que acha que sabe. Abra os olhos e esteja preparado para identificar um cisne negro.

Respondendo a primeira pergunta, eu nunca vi um et, mas acredito que eles existem.

 

 

Músicas ouvidas durante o post: Noel Gallagher (First Noel Demo Tapes 1989)– What’s It Got to Do with You?; Hey You; What’s Been Happenin’?; But What If…; Gotta Have Fun; Noel Gallagher (The Dreams We Have As Children)- (It’s Good) To Be Free (unplugged); Talk Tonight (unplugged); Fade Away (unplugged); Cast No Shadow (unplugged); Half The World Away (unplugged); The Importance of Being Idle (unplugged); The Butterfly Collector (unplugged); All You Need is Love (unplugged); Don´t Go Away (unplugged); Listen Up (unplugged); Sad Song (unplugged); Wonderwall (unplugged); Slide Away (unplugged); There is a Light That Never Goes Out (unplugged); Don´t Look Back in Anger (unplugged); Married With Children (unplugged). (Destaque para todas).


%d blogueiros gostam disto: