Arquivo da tag: consumo

O Homem Sem Dinheiro

Economista passa 18 meses vivendo sem dinheiro e diz que nunca foi tão feliz

Um economista britânico que passou os últimos 18 meses vivendo sem dinheiro está lançando um livro em junho contando a sua experiência (The Moneyless Man, ou O Homem Sem Dinheiro, em tradução livre) e diz que nunca foi tão feliz ou tão saudável.

Mark Boyle

Mark Boyle começou seu experimento em novembro de 2008, aos 29 anos, com o objetivo de chamar a atenção para o excesso de consumo e desperdício na sociedade ocidental.

Na ocasião, ele se mudou para um trailer que ganhou de graça no site de trocas britânico Freecycle e passou a trabalhar três dias por semana em uma fazenda local em troca de um lugar para estacionar o trailer e um pedaço de terra para plantio de subsistência.

Uma vida sem luxo

Dezoito meses depois ele afirma que não pensa em voltar a usar dinheiro e que, com o que ganhar com a venda do livro, pretende comprar um pedaço de terra para montar uma comunidade em que outras pessoas que queiram viver sem dinheiro, como ele, possam morar.

`Foi o ano mais feliz da minha vida`, disse Boyle, 12 meses depois de começar a experiência, `e não vejo nenhum motivo para voltar a um mundo orientado pelo dinheiro`.

`Foi libertador. Há desafios, mas não tenho o estresse de uma conta bancária, contas, engarrafamentos e longas horas em um trabalho do qual que não gosto.`

A parte mais difícil, conta ele, foi manter uma vida social sem dinheiro, mas ainda assim ele classifica o ano como tendo sido `fantástico`.

Boyle continua a viver no trailer em Timsbury, no sudoeste da Inglaterra, onde cozinha em um fogão de lata movido a lenha e colhe comida nas florestas, além de plantar alguns legumes para seu próprio consumo.

Ele também construiu um banheiro séptico – uma fossa – do lado de fora do trailer, onde um biombo de madeira garante sua privacidade.

Para garantir a eletricidade, Boyle usa painéis solares. Ele também usa um chuveiro solar – um saco de água coberto de preto, que esquenta sob o sol.

Boyle tem acesso à internet de banda larga em troca de serviços em uma fazenda próxima, e criou o site Just For The Love of It (`Só por amor`, em tradução livre), onde promove a troca de serviços e empréstimo de objetos e ferramentas entre seus membros, pela simples `bondade`.

Sua ideia é que as pessoas passem a confiar mais umas nas outras e comecem a se ajudar e trocar favores.

Ao começar a experiência, Boyle disse acreditar que `a falta de relação que temos do que consumimos é a primeira causa da cultura de desperdício que vivemos hoje`.

`Se tivéssemos que plantar nossa própria comida, não desperdiçaríamos um terço dela.`

Sua mensagem, diz ele, é: `consuma um pouco menos`.

`Não espero que ninguém vá ao extremo do que fiz neste ano, mas temos questões como o ponto sem retorno das mudanças climáticas chegando, e acredito que temos que levar essas coisas a sério.`

`Então, use menos recursos, use menos dinheiro e um pouco mais de comunidade. Essa, provavelmente, a mensagem que eu daria.

FONTE: BBC BRASIL


A História das Coisas

Já se perguntou de onde vem todas as coisas que compramos, e pra onde elas vão?

Vamos refletir…


Poupar Dinheiro

Para poupar dinheiro não é preciso ser um milionário, não é preciso ganhar muito. Basta ser um pouco pão duro e viver com menos do que você recebe. João, que por exemplo ganha mil reais, possui as seguintes despesas em determinado mês:

  • Celular = R$ 50,00
  • Cartão de Crédito = R$ 250,00
  • Baladas = R$ 200,00
  • Prestação do carro = R$ 300,00
  • Academia = R$ 50,00
  • Tv a cabo/Internet = R$ 100,00
  • Outros = R$ 100,00

  TOTAL = R$ 1.050,00

Ou seja, além de não poupar nada, João está usando o limite do cheque especial do banco. Como os juros são elevados, se este limite for usado todos os meses, uma parte dos rendimentos de João não serão revertidos para seu próprio usufruto. Se João quiser continuar com o mesmo padrão de vida, mesmo estando no vermelho, a situação só tende a piorar. Pessoas que estão nesta situação geralmente passam a pagar somente o valor mínimo da conta do cartão de crédito, ai sim vira uma bola de neve. Pois além de não poupar nada, o sujeito está completamente individado. João é burro, não sabe poupar. 

Este é o perfil de consumo de várias pessoas. Apesar de errado, para estes o que importa é a satisfação imediata, é aquela blusa que mesmo não precisando, tenho que comprar porque está na promoção e ainda parcelam em 10 vezes. É a TV de plasma que agora baixou de preço, e para fazer sucesso com os vizinhos tenho que comprar pra ontem, mesmo com a TV 29 semi nova que tenho em casa. Estas pessoas não se importam com os outros gastos que já estão previstos, querem viver um padrão de vida diferente dos seus rendimentos. 

Se para sobreviver já está difícil, então como vou poupar?

Realmente não é possível economizar, sem que para isto sobre algum dinheiro todo mês. Existem duas alternativas para começar a poupar:

  1. Aumentar os rendimentos, passando a ganhar um salário maior (chama o chefe pra uma conversa reservada e faz uma pressão dizendo que recebeu várias outras propostas, ele vai rir de você por dentro, mas não custa nada tentar). Aumentar os rendimentos com um trabalho extra (vai viver só para trabalhar, ficar estressado e ainda corre o risco de ser corno);
  2. Readequar os seus gastos, mudar seus hábitos de consumo, gastar menos do que você recebe no fim do mês.

Como aumentar os rendimentos, não é uma tarefa das mais simples, fica mais fácil a segunda alternativa.

Para início de conversa, você pode relacionar todos os seus gastos e dividí-los por categorias. Assim descobre-se o que pode ser cortado ou reduzido. Na forma de lista, como no exemplo:

RECEITAS
Salários
Outros
 
DESPESAS FIXAS: Obrigatórias
Prestação da casa, aluguel, condomínio, IPTU
Prestação do carro, seguro do carro, IPVA
Plano de saúde
Plano de aposentadoria
Outros
 
DESPESAS FIXAS: Não-obrigatórias
Colégio particular
Academia, cursos
TV a cabo, internet
Empregada doméstica
Estacionamento
Outros
 
DESPESAS VARIÁVEIS: Obrigatórias
Alimentação
Água, luz, gás
Telefone fixo
Transporte
Outros
 
DESPESAS VARIÁVEIS: Não-obrigatórias
Celular
Comer fora
Viagens
Bares, baladas
Cinema, teatro, futebol
Outros
 
TOTAL DE RECEITAS
TOTAL DE DESPESAS
SALDO (receitas menos despesas)

O que pode ser feito:

  • Reduzir as despesas variáveis não-obrigatórias. São considerados gastos supérfluos (você não vai morrer se ficar sem). Caso você não queira eliminá-los por completo, pode limitar o seu consumo;
  • Reduzir as despesas variáveis obrigatórias. Que tal ir de ônibus pro trabalho? Ou até mesmo dividir a carona com outras pessoas, usando o carro semana sim, outra não. Procurar se alimentar mais vezes em casa (além de economizar você tem certeza que está comendo alimentos bem preparados com relação a qualidade e higiene). Desligar os equipamentos que mesmo sem uso consomem energia;
  • Cortar as despesas fixas não-obrigatórias. Cada pessoa possui sua prioridade. Como cortar cursos por exemplo, se estes podem nos garantir uma condição financeira melhor no futuro? Como cortar a internet e ficar sem ver aquele blog que você gosta? Para esta categoria de despesas é complicado reduzir gastos, a questão é eliminar ou não;
  • Cortar as despesas fixas obrigatórias. Esta categoria de despesas deve ser avaliada por último, por se tratar de gastos que chova ou faça sol, estarão lá todo mês. Não é possível reduzir o valor do IPTU, ou uma prestação de carro ou apartamento. A não ser que você troque o carro, o apartamento, ou saia do plano de saúde.

Reduzir, cortar, só não vá perder a cabeça.
Reduzir, cortar, só não vá perder a cabeça.

Não é tarefa simples, mas também não é nada impossível. Não existe mágica, apenas gaste menos do que você recebe. Basta mudar os hábitos que foram adquiridos, sem um controle correto sobre os rendimentos. Como cada um possui um perfil de consumo, isto pode exigir pequenas ou grandes mudanças. Faça essa pergunta:
Para onde vai o suado dinheiro de todo mês?

Faça a sua lista, controle seus gastos e comece a poupar, para então começar a investir. 

Músicas ouvidas durante o post: 311 – Do You Right; Feels So Good; My Stoney Baby; Visit; Welcome; 1, 2, 3; Taiyed; Omaha Style; Homebrew; 8:16 am; Hey You; Amber; Champagne; From Chaos; I´ll Be Here Awhile; You Wouldn´t Believe; Down; Don´t Stay Home; Purpose; Whiskey and Wine; Long For The Flowers; Speak Easy; Don´t Dwell; Give Me a Call; Come Original; Eons; Large in The Margin; Life is Not a Race; Beautiful Disaster; No Control; Stealing Happy Hours; Transistor; Use of Time. (Destaque para todas).


%d blogueiros gostam disto: