Arquivo da tag: blog

Os números de 2010 aqui no Livre Iniciativa Blog

Os duendes das estatísticas do WordPress.com analisaram o desempenho deste blog em 2010 e apresentam-lhe aqui um resumo de alto nível da saúde do seu blog:

Healthy blog!

O Blog-Health-o-Meter™ indica: Este blog está em brasa!.

Números apetitosos

Imagem de destaque

Um navio de carga médio pode transportar cerca de 4.500 contentores. Este blog foi visitado 18,000 vezes em 2010. Se cada visita fosse um contentor, o seu blog enchia cerca de 4 navios.

Em 2010, escreveu 8 novo artigo, aumentando o arquivo total do seu blog para 38 artigos. Fez upload de 12 imagens, ocupando um total de 545kb. Isso equivale a cerca de uma imagem por mês.

O dia mais movimentado do ano foi dia 20 de maio com 139 visualizações. O post mais popular este dia foi A Piada de Albert Einstein.

De onde vieram?

Os sites que mais tráfego lhe enviaram em 2010 foram administradores.com.br, dihitt.com.br, twitter.com, orkut.com.br e sedentario.org

Alguns visitantes vieram dos motores de busca, sobretudo por robert wadlow, einstein, superação, albert einstein e et

Atrações em 2010

Estes são os artigos e páginas mais visitados em 2010.

1

A Piada de Albert Einstein abril, 2010
3 comentários

2

Prós e Contras da Fusão Sadia-Perdigão junho, 2009
17 comentários

3

Investindo em Ações maio, 2009
2 comentários

4

A Crise Segundo Albert Einstein março, 2009
21 comentários

5

1001 Sons abril, 2009
23 comentários

Que 2011 seja mais produtivo para todos nós.

Que venham muitos outros posts!!


A TV Não Matou o Rádio

Dizemos que em economia, o termo obsolescência esta relacionado a diminuição de vida útil e do valor de um bem. Isto pode ocorrer devido ao progresso técnico ou ao surgimento de novos produtos. No campo artístico isto também acontece com a resistência de algumas pessoas ao obsoleto. Mas porque esta resistência? Nós mudamos com o passar dos anos, aprendemos coisas novas, conhecemos pessoas novas, estamos em contínuo aprendizado, inovamos. Porque com a tecnologia seria diferente?

oldtimes

O DVD veio para melhorar o formato de áudio e vídeo dos filmes que vemos em casa, e logo se tornará obsoleto, pois o Blue Ray já encanta os aficcionados pelos lançamentos de Hollywood. Esses dias mesmo eu estava conversando com o pessoal em casa sobre o vídeo-cassete que fomos buscar no Paraguay (a muitos anos atrás), e poderíamos fazer o mesmo com o Blue Ray, ou até mesmo um Playstation 3 (serve como video game e leitor de Blue Ray), porque não. O que não podemos é ficar agarrados a um produto que logo estará em desuso. Temos que acompanhar a evolução da tecnologia.

A questão é que, ainda tem gente procurando atrapalhar esta mudança inevitável e natural do universo do download, que a meu ver veio para ficar. A proibição é atitude típica de pessoas mais nostálgicas, que ouvem ou ouviram discos de vinil e/ou fitas cassete, que tinham que ir até uma loja para comprar e pagar caro pelo álbum desejado. Já as pessoas que ainda não atingiram a fase dos enta (quarenta, cinqüenta, sessenta), já nasceram utilizando estas novas tecnologias, além de estarem mais acostumadas com as mudanças repentinas que ocorrem tanto em nossas vidas, quanto no mundo tecnológico.

Estas pessoas mais jovens querem combater seu ponto de vista, batendo de frente com antigas cabeças pensantes. Um bom exemplo vem da Suécia, onde uma estudante de economia de 21 anos chamada Amelia Andersdotter está prestes a entrar no Parlamento Europeu, o que a fará contrastar com os políticos mais velhos que costumam se eleger para a casa. Além de ser muito jovem, o que também chama a atenção é que, ao contrário da atual política de se defender os direitos autorais, com leis restritivas, ela baterá na tecla de que é necessário liberar o download. A indústria do entretenimento, tal qual o DVD ou o CD, deverá evoluir e procurar uma nova forma para continuar a lucrar. Amelia faz parte do Partido Pirata, que defende o download livre, e está ganhando espaço no Parlamento Europeu. Ela é uma das representantes mais votatas do partido e ganhou notoriedade justamente por simpatizar com a causa política, defendendo o que muitos jovens da sua idade defendem, o direito de fazer download. A campanha de Amelia baseou-se como esperado para sua idade, na web. Ela criou site, blog e publicou vídeos no youtube.

Amelia Andersdotter

Amelia Andersdotter

Num momento em que o número de defensores do download livre aumenta na mesma proporção em que surgem leis restritivas, os eleitores, principalmente os mais jovens, abraçam as idéias de Amelia e do Partido Pirata. Ela e o Partido propõem mudanças radicais, em que todos os usos não-comerciais de músicas e filmes seriam liberados, ou seja, se você baixar algo para uso próprio e não for comercializar, tudo bem. Defendem também que toda a obra possua direito de proteção estipulados em 5 anos, caindo após este período em domínio público. Você pode se perguntar, e as Majors (indústria do entretenimento), como iriam lucrar? Bom. Como eu estou pensando em substituir meu DVD por um Blue Ray ou até mesmo um Playstation 3, elas já deveriam começar a pensar em novas formas de lucrar. A atual crise econômica mundial, pede por novas formas de produtos ou serviços. Algumas sugestões: podem lucrar com shows, licenciamento de músicas, merchandising, ou seja, as Majors devem inovar. Eu mesmo baixei o ultimo CD do Oasis, mas por outro lado investi 200 reais no ingresso para vê-los tocar ao vivo aqui no Brasil.

Um projeto de lei que desconecta usuários que estão fazendo download foi apresentado aqui no Brasil. A lei foi derrubada por inconstitucionalidade, mas o Governo ainda quer colocá-la em prática. Em países da Europa, existe uma lei que guarda a movimentação dos internautas. Os responsáveis pelo PirateBay que é usado para baixar músicas e filmes foram condenados, sendo apontados como facilitadores para a pirataria. Como resultado, mais pessoas se filiaram ao Partido Pirata, ou seja, quanto mais medidas restritivas forem tomadas pelos Governos, surgem mais movimentos políticos pela cultura livre. Os consumidores clamam por uma reformulação neste processo de compra e venda.

Seja comprando ou baixando, é tudo uma questão de preferência, de oportunidade, de poder aquisitivo. O próprio vinil está voltando pois identificaram que existe a demanda com os nostálgicos que gostam do barulhinho chiado. Penso que deve haver todas as formas de distribuição, todas as opções. Quem quer comprar o Vinil, compra. Quer o CD ou DVD, pode comprar. Quer baixar, também pode. Tem para todos os gostos e bolsos. A TV não matou o rádio, o download não vai matar a música ou o filme, é tudo uma questão de evolução.


Vício de Blogar

Pesquisando nos Blogs, encontrei um post muito interessante de 2003, intitulado “Velharia Reciclada – O Blog lhe começa a fazer mal quando…” É justamente o que ocorre quando a pessoa fica viciada em blogar. Vou postar o que a autora Alê Félix escreveu:

O blog começa a lhe fazer mal quando…

-As pessoas perguntam como foi seu dia e você diz para lerem no blog;

-Deixa de sair com os amigos para ler comentários;

-Cria um personagem fictício para comentar no próprio blog;

-Comenta em vários blogs qualquer coisa, só para fazer propaganda do seu;

-Dá reload no blog várias vezes para ver se aumenta o número de visitas no contador;

-Só escreve sobre assuntos que vão lhe render visitas através dos sites de busca;

-Nunca leu um livro, mas acha que pode escrever alguns;

-Acha que um dia pode concorrer à Academia Brasileira de Letras;

-Fica arrasado com críticas e nem consegue dormir;

-Quando está com outras pessoas, só fala de blogs e posts;

-Perde completamente a noção de privacidade, põe nos posts as piores histórias da família e dos amigos e ainda dá nome, endereço e telefone de todo mundo;

-Não consegue ficar um minuto sequer longe do micro; 

-Quando está longe, não vê a hora de voltar pra casa, conferir as estatísticas, os comentários e escrever sobre a sua preocupação em voltar logo para frente do micro;

-Passa o dia pensando no que postar;

-Fica deprimido se não há o que escrever;

-Fica deprimido porque ninguém comenta os seus posts;

-Fica deprimido se o número de visitantes diminui;

-Passa o dia fazendo propaganda do próprio site;

-Quando entra em um banheiro público, deixa o endereço do blog atrás da porta;

-Não agüenta nem ouvir falar a palavra blog;

-Já pensou em tornar-se um serial killer de blogueiros;

-Colocou uma foto no último post e não vê a hora de ser reconhecido nas ruas;

-Não desgruda mais da máquina fotográfica. Toda imagem vale um post;

-Não vê a hora de acontecer um novo encontro de blogueiros;

-Acha que é famoso;

-Acha que é engraçado;

-Acha que deveria receber pra escrever no blog;

-Acha que sua vida vale um filme;

-Acha que é escritor;

-Acha que a sua vida é muito chata, mas que ficaria insuportável sem o blog;

-Acha que é interessante e que suas histórias são impagáveis;

-Transforma qualquer assunto besta em confusão só pra chamar atenção;

-Acha que criticar tudo e todos é uma tática bastante original para o blog e você serem admirados;

-Vive colocando seu nome e o do blog no Google pra ver quem escreveu sobre você;

-Quando não tem nada para fazer, procura erros de português no blog dos outros;

-Senta a boca nos comentários dos blogs populares só para ganhar notoriedade;

-Sabe que tem um português sofrível, mas diz que não se importa e capricha nos erros;

-Manda fazer cartões de visita com o endereço do blog;

-Passa mais de oito horas por dia gerenciando o próprio blog;

-Noventa e nove por cento dos seus amigos tem blog;

-Seus últimos relacionamentos amorosos começaram via sistema de comentários;

-Terminou o namoro via post;

-Já pensou em pedir as contas do emprego para se dedicar mais ao blog;

-Quando está com amigos blogueiros e tem uma idéia para um post, avisa logo: “Eu primeiro! Idéia minha! Post meu!” ;

-Não perde a oportunidade de ser o primeiro a comentar um post;

-Sempre que é o primeiro a comentar um post escreve: “Primeiroooooo!”;

-Fica de mau-humor quando o blog ou suas ferramentas saem do ar;

-Só se relaciona com blogueiros famosos e ignora qualquer um que tenha menos de cem visitas diárias;

-Anda na rua achando que todos sabem quem você é;

-Verifica as estatísticas dos blogs antes de se dar ao trabalho de comentar;

-Acha que um link no seu blog vale mais do que ouro em Serra Pelada;

-Não linka ninguém porque acha que não há blog melhor que o seu;

-Não linka ninguém porque não quer concorrência;

-Linka todo mundo porque quer links de todo mundo;

-Quando você dorme sonha com um template novo;

-Coloca scripts para evitar que copiem seus textos e imagens utilizando o teclado e o botão direito do mouse;

-Já pensou em colocar espaço para publicidade no blog;

-O computador pifa e você pifa junto;

-Não suporta mais escrever no blog, mas não o deleta porque desaprendeu a viver sem comentários;

-Você grita, se descabela e esmurra o computador quando expira o tempo de postagem e você perde um post inteirinho; 

-Seus últimos sonhos de consumo estão todos relacionados ao blog: notebook, câmera digital, webcam, speed… 

-Quando está com amigos blogueiros fica calado para evitar que suas idéias sejam usadas por eles;

-Já pensou em vender o blog, passar o ponto;

-Pensa seriamente em colocar uma foto sua de nu frontal com o endereço do blog pra ver se ela vira spam e o sucesso te leva pra televisão, revistas…

-Acha que o blog é a sua grande chance de tornar-se uma celebridade;

-Mente descaradamente, mesmo com o contador aberto, sobre o seu número de visitas;

-Deseja esganar um pescocinho quando vê que copiaram um texto e ignoraram a autoria (a propósito, este texto foi escrito por Alê Félix, do www.alefelix.com.br).


Passados quase 6 anos deste post, os sintomas continuam muito atuais.

Você se identificou com quais destes ítens?

 

Músicas ouvidas durante o postJorge Ben Jor – Taj Mahal; Filho Maravilha; W Brasil; País Tropical; Spyro Gyro; Que Maravilha; Por Causa de Você; Menina; Chove Chuva; Zazueira (destaque para todas, salve Jorge)

BlogBlogs.Com.Br


%d blogueiros gostam disto: